A baixa libido apresenta desafios dentro da comunidade médica. Por ser amplamente menos relatada, determinar a prevalência desta condição provou ser um feito quase impossível para os pesquisadores. Segundo algumas estimativas, um em cada cinco homens sofre da falta de desejo sexual, mas como muitos hesitam em abordar o assunto com seus médicos, os números reais podem ser bem maiores [1].
Além disso, não há um padrão definido para o que constitui um desejo sexual “normal”. A libido pode diminuir e aumentar ao longo das fases da vida e está sujeita a diversos fatores do nosso cotidiano. Estresse, condições de saúde, medicamentos, alterações hormonais, fadiga e problemas de relacionamento são apenas alguns dos influenciadores da libido mais destacados. Desta forma, diagnosticar e tratar a causa subjacente para a condição requer uma abordagem abrangente.

Causas da baixa libido

Influências na baixa libido Causas comuns de baixo desejo sexual e baixa libido incluem:
  • Estresse
  • Condições de saúde
  • Medicamentos
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Abuso de substâncias
  • Alterações hormonais
  • Fadiga
  • Problemas de relacionamento
  • Tireoide hipoativa
  • Diabetes
  • Doenças cardiovasculares
No entanto, uma coisa é certa: a prevalência da baixa libido aumenta com a idade que, em parte, reflete o processo normal de envelhecimento. Em outras palavras, o desejo sexual em declínio pode ser esperado, até certo ponto, em adultos na meia-idade. A partir disso, existem fatores psicológicos, sociológicos e até médicos que podem contribuir para a baixa libido. Ansiedade, depressão e abuso de substâncias são causas comuns de baixo desejo sexual, mas também há comorbidades médicas associadas à condição. Estas incluem tireoide hipoativa, diabetes e doenças cardiovasculares [2].
A série de possíveis responsáveis por trás da redução da libido pode ser assustadora para os pacientes. Se existem tantos influenciadores assim, por onde se deve começar a procura de uma solução eficaz? Para especialistas em gestão da idade da Cenegenics, começa-se por uma visão abrangente da condição física da pessoa. Além de diagnosticar e tratar com precisão qualquer problema de saúde, os médicos também otimizam o bem-estar do paciente em todas as principais áreas de regulação hormonal, condicionamento físico, alimentação e controle de estresse. Ao fazê-lo, eles fornecem as melhores chances possíveis de restaurar o desejo sexual, quer sua redução tenha sido causada por fatores relacionados à idade, saúde insuficiente ou uma combinação dos dois.
Se você está entre os 20% ou mais da população com baixa libido, descubra abaixo como a Cenegenics pode ajudar.

Como melhorar o baixo desejo sexual através do programa da Cenegenics

Como melhorar o desejo sexual

A Cenegenics ajuda a aumentar a libido e o desejo sexual com:
Otimização hormonal
Exercícios
Alimentação
Nutracêuticos
Controle de estresse

Como aumentar a libido e o desejo sexual com a otimização hormonal

O desejo sexual e a testosterona estão relacionados? Essa é uma das primeiras perguntas que os médicos geralmente encontram ao lidar com a falta de desejo sexual de seus pacientes. De fato, embora os dois se relacionem, não são a mesma coisa.
A testosterona é um hormônio vital que auxilia no desejo sexual saudável. Diminui naturalmente com a idade e começa a cair progressivamente a partir dos 40 anos. Embora a testosterona possa estar ligada à baixa libido, a insuficiência de testosterona é uma condição médica reconhecida e caracterizada por níveis hormonais abaixo do normal. Suspeita-se que a condição possa afetar aproximadamente um em cada três homens com mais de 45 anos, porém sintomas como fadiga, ganho de peso e baixa libido são frequentemente confundidos com sinais de envelhecimento normal [3].
Agende Sua Orientação
Nossos médicos de globalmente renomados criam um plano personalizado para ajudar você a se sentir 10 anos mais jovem. Você terá mais energia, perderá peso, dormirá melhor, terá mais libido e pensará com mais clareza. Clique abaixo para agendar uma consulta gratuita com um de nossos médicos. É rápido e fácil.
Em termos clínicos, a prevalência de insuficiência de testosterona é de aproximadamente 39%, embora a taxa possa variar dependendo de critérios de diagnóstico específicos. Apesar de sua prevalência aumentar com a idade, ela também é influenciada pelo nível de conscientização, tanto dos provedores de cuidados quanto dos pacientes, em relação aos sinais e sintomas comuns. Embora as variações normais de testosterona sejam conhecidas por variar um pouco entre os laboratórios, as geralmente aceitas são de 250 a 1100 ng/dl para a testosterona total e de 35 a 224 pg/ml para a testosterona livre.
Se determinado, com base nos resultados do exame, que um paciente tem insuficiência de testosterona, os médicos da Cenegenics podem recomendar um programa de terapia de reposição hormonal para otimizar a produção de hormônios. Embora a terapia com testosterona possa melhorar o bem-estar e a qualidade de vida em diversas áreas, incluindo força física, energia e regulação de peso, os sintomas da esfera sexual, como libido e disfunção erétil, mostram os mais claros e consistentes benefícios. Na verdade, mais de 650 participantes em 17 estudos diferentes mostraram que pacientes com testosterona menor que 350 ng/dl se beneficiarão da terapia com testosterona tanto na sintomatologia da libido quanto da disfunção erétil, com as maiores melhorias experimentadas nas áreas de ereções matutinas e totais, função erétil geral e motivação sexual.
Os médicos da Cenegenics estão comprometidos em adotar a abordagem mais segura e eficaz para tratar as insuficiências hormonais. Nossa equipe clínica não controla apenas a testosterona total, mas também gerencia seu impacto na testosterona livre, na di-hidrotestosterona (Dihydrotestosterone – DHT) e no estradiol. Para isso, coletamos valores laboratoriais de referência em pacientes em intervalos específicos, garantindo assim que os médicos tenham uma compreensão completa de como os hormônios afetam diretamente o metabolismo de carboidratos e lipídios, biomarcadores inflamatórios, função renal e hepática e saúde da próstata. Nossos médicos são proativos na medição do impacto dos hormônios sobre esses biomarcadores e mudam dinamicamente os objetivos e os esforços, conforme necessário, à medida que os pacientes respondem e se adaptam ao longo do tempo.
É claro que, embora a testosterona seja frequentemente o primeiro fator que vem à mente ao lidar com o desejo sexual em declínio, não é o único influenciador. O condicionamento físico pode desempenhar um papel poderoso na libido – nós nos aprofundaremos nessa relação na próxima seção.

Exercício e libido: qual é a relação?

No mundo da medicina, o exercício é muitas vezes saudado como "a maior pílula de todos os tempos". Com a capacidade de reduzir inflamações, melhorar a coordenação e o equilíbrio e reduzir o risco de doenças graves, o exercício está entre os métodos mais poderosos que os adultos têm para melhorar a sua saúde ao longo da vida. E, embora seja talvez a terapia menos utilizada contra doenças crônicas e doenças da idade, é uma das soluções mais eficazes e bem estudadas.
Portanto, não é de surpreender que um dos benefícios potenciais do exercício físico regular seja o aumento do desejo sexual. O exercício aumenta a energia e otimiza a saúde cardiovascular para melhorar a qualidade erétil. A relação entre saúde erétil e bem-estar cardiovascular é tão forte que os médicos começaram a considerar a disfunção erétil como um sinal de alerta potencial de doença cardíaca ou outros problemas circulatórios. Embora existam muitos possíveis responsáveis por trás da interrupção do fluxo sanguíneo ao pênis, uma causa potencial é o acúmulo de placa cheia de colesterol nas artérias. Desta forma, para alguns homens, mudanças no estilo de vida como perder peso e se exercitar, podem melhorar a função erétil e, posteriormente, o desejo sexual [4].
Além de abordar os influenciadores físicos, o exercício também pode afetar alguns dos fatores emocionais que contribuem para a falta de desejo sexual. Perder peso, fortalecer os músculos e melhorar os níveis gerais de condicionamento físico podem ter melhorias significativas na saúde mental de uma pessoa. Especificamente, o aumento da autoimagem e da confiança podem afetar de forma positiva o interesse físico na atividade sexual.
No entanto, é importante perceber a linha tênue que existe entre manter a boa forma física e se exercitar demais. Um estudo de 2017 publicado na revista Medicine & Science na seção Sports & Exercise examina a relação entre a libido masculina e o treinamento de resistência. Enquanto os participantes do estudo com intensidades de treinamento de nível médio tiveram maiores chances de estado libidinal normal a alto, aqueles com maior intensidade de treinamento experimentaram estados mais baixos. A duração do treinamento também afetou a libido, com participantes de sessões curtas e médias experimentando maior desejo sexual do que aqueles com maior duração. Sendo assim, muito exercício pode realmente afetar a libido de forma negativa [5].
Ao explorar o melhor programa de condicionamento físico para otimizar não só o desejo sexual, mas também a saúde geral, escolher entre as várias abordagens pode ser assustador. Com tantos fatores a serem considerados, incluindo duração, intensidade e tipo de exercício, muitas pessoas simplesmente supõe o melhor tipo de treinamento e ficam decepcionadas quando não percebem os resultados. Os médicos da Cenegenics, por outro lado, adotam uma abordagem comprovada. Eles fornecem recomendações personalizadas de exercícios com base nas necessidades específicas de cada paciente, com o objetivo de otimizar os resultados no menor tempo possível. O treinamento intervalado de alta intensidade é o método de treinamento preferido dentro do programa, pois não requer um investimento de tempo significativo e produz resultados favoráveis.
Como você pode ter suspeitado, exercícios e dieta muitas vezes andam de mãos dadas quando se trata de abordar a maioria das áreas da saúde. A libido não é uma exceção, e é por isso que exploramos o impacto da alimentação na saúde sexual nas duas seções a seguir.

Como aumentar a libido e melhorar o desejo sexual através da alimentação

A otimização da dieta tem impactos profundos no corpo. A alimentação afeta os níveis de energia, de peso e de inúmeras funções que o corpo deve realizar para manter a saúde ideal. Um aspecto frequentemente negligenciado do bem-estar no mundo sexual é a dieta.
Infelizmente, estamos enfrentando uma epidemia global em que a alimentação se tornou uma atividade impulsionada por fatores como prazer e conveniência. Nós não comemos mais para fornecer ao nosso corpo os nutrientes de que ele precisa para funcionar bem e evitar doenças; em vez disso, alimentos industrializados e processados são frequentemente escolhidos porque são práticos, fáceis e agradáveis. Esses alimentos, que são predominantes nas dietas ocidentais, têm pouco valor nutricional e podem contribuir para fatores como a baixa sensibilidade à insulina, um dos principais precursores de condições que afetam a saúde sexual, incluindo doenças cardiovasculares e inflamação.
Os médicos da Cenegenics prescrevem uma forma de alimentação que potencializa o desejo sexual, em vez de reduzi-lo. Uma prioridade compartilhada em todos os programas dietéticos é a otimização da sensibilidade à insulina. A insulina, hormônio responsável pelo controle dos níveis de açúcar no sangue, é produzida no pâncreas e movimenta o açúcar do sangue para as reservas de armazenamento do corpo. Quando as células se tornam resistentes à insulina como resultado de uma dieta ruim, elas não são mais capazes de usar a insulina de forma eficaz. Isso permite que os níveis de açúcar no sangue aumentem em níveis anormalmente altos e estimula um ciclo vicioso em que o pâncreas cria mais insulina para reduzir os níveis de açúcar no sangue. Eventualmente, isso pode esgotar as células produtoras de insulina do pâncreas, uma tendência normalmente observada em pessoas com diabetes tipo 2. Sem surpresa, a baixa libido afeta as pessoas com diabetes mais do que aquelas sem [6]. A falta de interesse no sexo e insatisfação sexual também é relatada por pessoas com doenças cardiovasculares – uma condição na qual a resistência à insulina é um sintoma comum [7].
Assim, enquanto a alimentação saudável não necessariamente aumenta o desejo sexual de maneira direta, pode certamente revelar muitos dos responsáveis por trás da baixa libido. As abordagens dietéticas recomendadas por especialistas em nutrição da Cenegenics priorizam o consumo de uma mistura saudável de macronutrientes, incluindo opções como dietas com baixo teor de carboidratos/alta proteína. Esses planos ajudam os pacientes a lidar com os estressores cardiovasculares que inibem o fluxo sanguíneo, ao mesmo tempo em que controlam questões como a sensibilidade à insulina e a inflamação.
Como o exercício físico, a dieta aprimorada também pode levar à perda ou à regulação de peso, podendo contribuir ainda mais para os influenciadores emocionais por trás da baixa libido. Seguir uma abordagem de alimentação mais saudável pode ajudar os pacientes a melhorar sua autoimagem e confiança, o que também pode aumentar o interesse físico na atividade sexual.
Um aspecto final da dieta, em que os médicos da Cenegenics podem aconselhar os pacientes a abordar, a fim de auxiliar no desejo sexual, é o consumo de álcool. Não só o consumo de álcool pode impedir a função cognitiva, como também pode diminuir a libido. O álcool faz com que os vasos sanguíneos se dilatem, influenciando a forma como o sangue flui para e do pênis. Contribui também para a desidratação, que afeta o desejo sexual e a excitação [8].
A American Heart Association recomenda uma dose diária de um a dois drinques por dia para homens e, embora o consumo moderado de álcool possa produzir benefícios, como melhorar o perfil dos fatores de risco cardiovascular e reduzir a mortalidade, também está associado ao aumento do risco de câncer. Além disso, o consumo moderado de álcool também pode levar a episódios de consumo excessivo de álcool. Quaisquer benefícios para a saúde alcançados através do álcool também podem ser alcançados somente através da alimentação e de exercícios.
No entanto, se você faz parte do grupo maioritário de americanos que consumem bebidas alcoólicas diária ou semanalmente, pode ter certeza de que o consumo moderado não deve prejudicar significativamente o seu desejo sexual. Para os 30% dos americanos que bebem regularmente, uma bebida por noite é a taxa média de consumo [9]. Embora os médicos da Cenegenics aconselhem a redução da ingestão de álcool, a modificação do consumo com as refeições pode ser aconselhada, dependendo dos objetivos do paciente, do estilo de vida e da análise de suas necessidades específicas.
Apesar de limitar o consumo de álcool e comer bem, muitas dietas modernas ainda deixam lacunas nutricionais que podem afetar a libido. No próximo segmento, discutiremos como os nutracêuticos da Cenegenics podem ser usados para lidar com insuficiências e melhorar o desejo sexual.
Double Click to Edit

Como aumentar a libido com nutracêuticos?

Os médicos da Cenegenics prescrevem nutracêuticos para pacientes com necessidades identificadas de suplementos específicos. Embora os nutracêuticos possam melhorar a saúde geral, certos micronutrientes também podem estimular o desejo sexual ideal.
Por exemplo, adaptogênicos naturais, como raiz de maca, raiz de ashwagandha e ervas similares, podem aumentar o desejo sexual de forma natural. Suplementos à base de cogumelos, como os de cogumelos reishi vermelhos, também têm propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas que podem ajudar no controle do estresse e na imunidade para ajudar a combater a perda da libido. Assim como o zinco, que auxilia nos níveis naturais de testosterona e pode contribuir para o aumento do desejo sexual [10]. Enquanto os alimentos ricos em licopeno, poderoso nutriente com propriedades antioxidantes, podem melhorar a virilidade mantendo a saúde da próstata, o nutriente também pode ser tomado em forma de suplemento. Por fim, o ácido graxo essencial ômega 3 é um componente essencial de hormônios sexuais e tomá-lo regularmente pode elevar os níveis de dopamina para desencadear a excitação.
Quando se trata de nutracêuticos, é importante lembrar que as doses devem sempre ser supervisionadas por um médico. Além disso, os suplementos não estão sujeitos à regulamentação tão rigorosa quanto os medicamentos. Cabe ao consumidor ou ao fabricante pesquisar a pureza e a potência e, como muitos pacientes não relatam seus suplementos em sua lista de medicamentos, as interações medicamentosas podem representar um sério risco. Além disso, a qualidade da fonte é fundamental. Nossos médicos prescrevem nutracêuticos que são significativamente diferentes dos suplementos genéricos de varejo. Os pacientes da Cenegenics recebem itens de farmácia personalizados e nutracêuticos clínicos dosados de forma eficaz e farmacologicamente testados.
O último, mas não menos importante, componente da otimização da libido, é o controle eficaz do estresse. Discutiremos este tópico brevemente na seção seguinte.

Estresse e libido: uma relação fundamental

Curiosamente, apesar do estresse afetar sua vida sexual, ele também pode ser aliviado pelas relações sexuais. No entanto, infelizmente, não há uma solução simples para o estresse crônico que afeta a saúde física de maneira abrangente, incluindo a redução do desejo sexual. Ainda que um pouco de estresse seja normal e até saudável, o estresse crônico prolongado que muitas pessoas enfrentam pode ter efeitos adversos na saúde. O estresse crônico produz cortisol, um hormônio capaz de suprimir os hormônios sexuais quando elevado por muito tempo [11].
Embora não haja uma única maneira de abordar o estresse em todas as pessoas, os médicos da Cenegenics se destacam por abordar os impactos de longo alcance do estresse. Nossos planos de redução do estresse abrangem todas as áreas do seu bem-estar que o estresse pode afetar. Tratamentos direcionados são aplicados para alcançar melhorias duradouras na qualidade e na duração do sono, na cognição e nos níveis de energia, o que pode ajudar os pacientes a encarar os muitos desafios da vida com uma mentalidade livre de estresse e de ansiedade.

Como aumentar a libido e o desejo sexual: será que a Cenegenics é ideal para você?

Embora existam muitas causas potenciais por trás da falta de desejo sexual, os médicos da Cenegenics realizam testes consistentes no início do programa de gestão da idade de cada paciente para descobrir qualquer agente causador de forma rápida e eficiente. Em alguns casos, a causa da baixa libido pode ser facilmente identificável, como é o caso da baixa testosterona. Em outros, o tratamento de uma ampla gama de fatores de saúde com soluções comprovadas pode ser necessário para otimizar a saúde geral e melhorar o desejo sexual.
Independentemente dos fatores específicos que influenciam a sua libido, a Cenegenics é a principal fonte para a conquista de melhorias duradouras e perceptíveis na saúde sexual. A libido é um pilar fundamental em nosso abrangente programa de gestão da idade e, ao otimizar as áreas adicionais de saúde, nossos médicos podem ajudá-lo a restaurar seu desejo novamente.

Próximos passos para entender como aumentar o desejo sexual

Agende Sua Orientação
Nossos médicos de globalmente renomados criam um plano personalizado para ajudar você a se sentir 10 anos mais jovem. Você terá mais energia, perderá peso, dormirá melhor, terá mais libido e pensará com mais clareza. Clique abaixo para agendar uma consulta gratuita com um de nossos médicos. É rápido e fácil.